Home Convênio Laboratório Projetos de pesquisa Notícias
 


Quem somos
 
Missão
 
Benefícios

 

Quem somos

Inaugurado em maio de 2003, o Laboratório OKI Brasil do Centro de Informática da UFPE, antigo Laboratório Itautec, foi criado com a missão de realizar testes de desempenho de servidores, focando no TPC-C, benchmark internacionalmente aceito definido pela TPC (Transaction Processing Performance Council).

Ainda em 2003, a parceria do Centro de Informática da UFPE com a Itautec Philco, hoje Itautec S.A., começou a dar os primeiros resultados. Foi neste ano que o laboratório realizou a primeira publicação TPC-C da América Latina e iniciou a trajetória de excelência em análise de desempenho que culminou, em 2005, com a obtenção do primeiro lugar no benchmark TPC-C entre os servidores mono-processados, batendo concorrentes como HP, IBM, Dell, entre outros.

A partir de 2005, o laboratório iniciou sua diversificação das linhas de ação para áreas como Capacity Planning, desenvolvimento de aplicações móveis para autenticação e desenvolvimento de testes de compatibilidade de hardware para Linux.

Na área de análise de desempenho, o know-how de mais de 3 anos de testes TPC-C, assumindo inclusive o posto de membro da organização TPC, deu ao laboratório a base necessária para iniciar, em 2006, o projeto Capacity Planning. Neste projeto, foram desenvolvidos sistemas para realização de testes de desempenho em soluções da Itautec como o SCOPE (transferência eletrônica de fundos) e o SIAC (automação comercial), de forma a simular um ambiente de produção.

Também em 2006, o laboratório iniciou o projeto HCT (Hardware Compatibility Test) com a missão de desenvolver um software que permitisse a realização de testes de compatibilidade de hardware para o Librix, a distribuição Linux nacional desenvolvida pela Itautec. O sistema desenvolvido pelo laboratório é atualmente parte integrante da distribuição Librix.

Em 2007, a parceria entre a Itautec S.A. e o Centro de Informática da UFPE trouxe para o laboratório mais um projeto de pesquisa e desenvolvimento com foco no desenvolvimento de uma aplicação capaz de realizar a autenticação de senhas baseadas na tecnologia OTP (One Time Password): o MobiCash. O sistema evoluiu durante os anos de 2007 e 2008, recebendo o prêmio Excelência em P&D do Anuário Informática Hoje de 2008.

Em 2009, o laboratório atuou principalmente nos projetos Biometria e Librix Diagnostics Center – LDC. No primeiro, atuando em parceria com a Itautec Jundiaí, a equipe desenvolveu soluções de autenticação via sistemas biométricos para clientes como Itaú e Banco do Brasil. No segundo projeto – LDC – o laboratório desenvolveu o LDC 1.0, ferramenta de diagnósticos de hardware que é parte integrante da versão 4.0 do Librix.

Os anos de 2010 e 2011 foram marcados pelo amadurecimento das soluções biométricas desenvolvidas em parceria entre a Itautec e a UFPE e pelos estudos e definições para o projeto LDC Automação, versão mais nova do LDC 1.0 que foi integrado ao AutoManager da Itautec. Além disso, evoluímos no Centro de Informática projetos na área de automação comercial, aprofundando a parceria com a Itautec através da participação no desenvolvimento dos principais produtos.

Em 2012 e 2013 tivemos evolução no laboratório na área de biometria relacionada à detecção de digitais falsas, criando uma base de digitais falsas para a análise da performance quanto a detecção de digitais falsas dos dispositivos biométricos e dos algoritmos desenvolvidos. A base foi criada com digitais falsas de silicone e de cola de madeira seguindo os métodos utilizados pela academia neste campo de pesquisa. Tivemos duas publicações no projeto de biometria, a primeira foi titulada de A fingerprint spoof detection based on MLP and SVM, na conferência IJCNN (International Joint Conference on Neural Networks 2012) em Brisbane, Australia. A segunda publicação foi titulada de A modular architecture based on image quality for fingerprint spoof detectio, na conferência SMC (International Conference on Systems, Man, and Cybernetics 2012), em Seoul, South Korea. Em 2013, foi submetido para a competição LiveDet 2013 (Fingerprint Liveness Detection Competition 2013) um algoritmo desenvolvida no laboratório, no qual teve um resultado bom e perto dos demais competidores. Além disso, na base de um dos sensores biométricos, o algoritmo alcançou o segundo melhor resultado.

No ano de 2012 foi dado inicio aos trabalhos na linha de Business Intelligence (BI), no qual o laboratório atuou como parceiro da Itautec no desenvolvimento de soluções para construir produtos de BI complementares aos produtos da Itautec, contendo um armazém de dados e painéis gerenciais flexíveis com informações estratégicas. O laboratório continuará trabalhando na evolução dos projetos, sendo que com a BR Automação que assumiu as operações de Automação e Serviços da Itautec a partir de setembro de 2013.

Em 10 de janeiro de 2014, a OKI Brasil anunciou o início de suas operações no Brasil, focadas em prover soluções de automação bancária, automação comercial e serviços tecnológicos. A empresa, que faz parte do grupo japonês OKI Electric, foi criada a partir da estrutura de Automações e Serviços da Itautec. A parceria estabelece OKI Electric e Itautec como sócias na OKI Brasil, com participações de 70% e 30%, respectivamente.

Atualmente o Laboratório OKI Brasil CIn-UFPE mantém três linhas de pesquisa.

  • Automação Bancária - Biometria
  • Automação Comercial - Arquitetura de Software
Para saber mais sobre os projetos em desenvolvimento e as pesquisas concluídas, clique aqui .


Missão

Desenvolver projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação estimulando o estabelecimento de sinergias entre a OKI Brasil e o Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco.


Benefícios

O convênio entre a OKI Brasil e o Centro de Informática resulta em vantagens para a Universidade e para os estudantes, profissionais e empresas envolvidas. Entre os principais benefícios, podem-se destacar:

  • Compartilhamento de conhecimentos entre a Universidade e empresas privadas.
  • Fomento à cooperação entre estudantes e profissionais.
  • Oportunidade dos jovens aplicarem os conhecimentos construídos na Universidade.
  • Estímulo ao diálogo entre a pesquisa acadêmica e o desenvolvimento de soluções voltadas às necessidades concretas dos setores público e privado.
  • Requalificação dos laboratórios da Universidade por meio da doação de computadores, servidores, móveis e outros equipamentos após seu uso.